10 dicas para escritores de Margaret Atwood

Margaret Atwood é uma das minhas escritoras preferidas e, por isso, já era hora de compartilhar suas dicas de escrita. Suas obras de fi...


Margaret Atwood é uma das minhas escritoras preferidas e, por isso, já era hora de compartilhar suas dicas de escrita. Suas obras de ficção-científica são sensíveis, profundas, melancólicas, inteligentes e misteriosas (e estes são apenas os primeiros adjetivos que me vieram à mente). Por isso, este post é dedicado a ela e sua precisa contribuição a todos os escritores.

Antes, gostaria de falar um pouquinho sobre ela, para contextualizar algum leitor que não esteja tão familiarizado com suas obras. Além de escritora, Atwood também é ativa em causas ambientais e possui alguns produtos tecnológicos, que visam disseminar a leitura e a escrita para quem possui limitações físicas e/ou mentais. Suas primeiras obras literárias coincidiram como o Primeiro Movimento Feminista, nas décadas de 60 e 70 e, por isso, as críticas ao patriarcalismo e tom de empoderamento feminino estão presentes em seus livros e em suas magníficas personagens femininas.

Um de seus livros mais influentes é "O Conto da Aia", uma das melhores sugestões de leitura que já tive o prazer de compartilhar aqui no blog. Também recomendei as leituras de "Oryx e Crake" e sua continuação "O Ano do Dilúvio".

Agora que Atwood está apresentada, vamos às suas dicas para escritores. Ela começa com banalidades e termina com dicas mais interessantes.

1. Pegue um lápis para escrever em aviões. Canetas vazam mas se o lápis quebrar, você não pode afiar no avião, porque você não pode tomar facas com você. Portanto: pegue dois lápis. 

2. Se ambos os lápis quebrarem, você pode fazer um trabalho manual e áspero com uma lima de unhas do tipo de metal ou vidro. 

3. Sempre leve com você algo para escrever. O papel é bom mas, se estiver em falta, use madeira ou até seu próprio braço se for preciso. Mas nunca deixe de escrever.

4. Se você estiver usando um computador, sempre salve seu novo texto com um pendrive. Não confie na tecnologia. Trabalho com ela e, por isso, posso dar este conselho com propriedade.

5. Faça exercícios físicos e alongamentos. Domine seu corpo antes que ele domine sua mente. A dor te desconcentrará. 

6. Segure a atenção do leitor. (É provável que isso funcione melhor se você conseguir segurar sua própria atenção enquanto escreve). Mas, você não sabe quem é o leitor, então é como atirar peixes com um estilingue no escuro. O que fascina A provavelmente aborrecerá a B. Então, a dica é composta de duas partes: tente conhecer e descobrir quem são seus leitores e, a partir disso, prenda a atenção deles.

7. Você provavelmente precisará de um dicionário, um livro de gramática e um aperto na realidade. Este último significa: não há almoço grátis. Escrever é trabalho. É também jogo. Você não tem um plano. Outras pessoas podem ajudá-lo um pouco mas, essencialmente, você está sozinho. Ninguém está obrigando você a fazer isso: você escolheu, então não lamente. 

8. Você nunca pode ler seu próprio livro com a antecipação inocente que vem com a primeira página deliciosa de um novo livro, porque você escreveu a coisa. Você esteve nos bastidores. Você viu como os coelhos foram contrabandeados para o chapéu. Portanto, peça a um amigo de leitura ou dois para olhar para ele antes de dar a qualquer pessoa no negócio de publicação. Este amigo não deve ser alguém com quem você tem um relacionamento romântico, a menos que você queira terminar este relacionamento. 

9. Não se sente no meio da floresta. Se você está perdido na trama ou bloqueado, refaça seus passos, ao longo da narratiba, e descubra onde você se perdeu. Em seguida, pegue a outra estrada. E / ou mudar a personagem. Mude o tempo. Altere a página de abertura. 

10. Meditar, às vezes, ajuda o processo de escrita, ou ler outra coisa de outra pessoa. Também funciona uma visualização constante do Santo Graal - que é a versão final do seu livro, publicada de uma forma resplandecente.

Se você gosta de dicas de escritores, confira os demais autores que já compartilharam sua sabedoria no Perplexidade e Silêncio:

Posts Relacionados

Comente com o Facebook

0 comentários